Feed on
Posts
Comments

Pequenas curiosidades. Li isto em um artigo intitulado “A língua dos índios está de volta“. Veja alguns exemplos de como o tupi influenciou expressões na língua brasileira (lógico que existem muitos outros).

  • Pare com este nhen-nhen-nhen. A expressão vem do verbo nhe’eng (falar, piar) e significa pare de ficar falando, de falar sem parar.
  • O velho jogo de peteca, que é um pequeno saco cheio de areia ou serragem sobre o qual se prendem penas de aves, tem este nome devido ao verbo petek — golpear ou bater com a mão espalmada. É com a palma da mão que se joga o brinquedo.
  • Velha coroca é uma velha resmungona. O termo nasceu do verbo kuruk, que significa resmungar.
  • O verbo cutucar, em português, origina-se do tupi kutuk, cujo significado original — furar, espetar — modificou-se ligeiramente. Em português, cutucar é tocar com a mão ou com o pé.
  • Estar jururu é estar melancólico, tristonho, cabisbaixo. O termo indígena aruru, de onde surgiu a palavra, tem o mesmo sentido.
  • Várias palavras mantiveram pronúncia e significado praticamente originais: mingau (papa preparada geralmente com farinha de mandioca), capim, mirim (que significa pequeno) e socar (do verbo sok, com o mesmo significado).
  • A expressão estar na pindaíba muito brasileiro conhece: significa estar em graves dificuldades financeiras.É uma expressão que vem das palavras pinda’yba — vara de pescar (pindá, isoladamente, significa anzol). Antigamente, quando a pobreza abatia as populações ribeirinhas, era comum se tentar tirar a subsistência do rio, pescando para comer ou para vender o pescado. Segundo os pesquisadores, a expressão nasceu no período colonial brasileiro, em que o tupi em sua forma evoluída conhecida como “língua geral” era falado pela maioria dos brasileiros.
  • A perereca recebe esse nome simplesmente porque ela pula. Vem do verbo pererek, pular, que é também a origem do Saci-Pererê que, por não ter uma perna, anda aos pulos.

8 Responses to “Tupi na língua brasileira – curiosidades”

  1. on 24 set 2006 at 3:25 pm Juli Mariano

    Caraca, são expressões que uso pra caramba!!!

  2. on 25 set 2006 at 3:08 pm Carol

    Amei isso. Vc não faz idéia do quanto.
    Merci!

  3. on 25 set 2006 at 5:16 pm Roney Belhassof

    Isso me fez pensar no quanto fomos influenciados pelos índios nativos e quão pouco os conhecemos. Outro lugar onde podemos encontrar esta rica influência é em nosso imaginário e lendas que, muito embora não nos lembremos, vem dos espíritos indígenas.

  4. on 26 set 2006 at 8:49 am Carol

    Tenho o maior orgulho do meu filho conhecer – e citar – o Saci, o Curupira… Claro, temos Batman e Homem Aranha também pque não estou criando um alienado ao mundo atual. Mas que eu acho o maior barato ele dizer que foi o Saci que fez a bagunça, eu acho.

    Eu sei, saí um pouco do tópico. Acho que Cockynha não vai puxar minha orelha, não… :-D

  5. on 26 set 2006 at 6:29 pm Cláudia Mello

    Juli, você é índia disfarçada! hehehe

    Roneyzinho: adoro sua presença aqui. :)

    Não puxo orelha não, Carol! :)

    Beijos aos três!

  6. on 20 nov 2008 at 2:24 pm natalia

    Essas expressões me ajudaram a fazer um trabalho de aula sobre os índios!
    Agradeço à autora dessas curiosidades. Beijo!

  7. on 16 dez 2008 at 3:51 pm Adriano Sucupira

    xe acuabi nheeng tupy.
    eu sei falar tupi.

  8. on 16 fev 2009 at 5:06 pm adriano

    essa mulher nao sabe nada de tupy. nheeng e lingua, falar e a fala. kitica é beliscar. apatuka é bater. cutuka é cutucar elguem.
    nde nheeng-i tupy.
    nde acuab-i
    cu tupy marã-gato.