Feed on
Posts
Comments

Contador de palavras

Nós que trabalhamos com textos normalmente damos de cara com um trabalhinho meio chatinho: contar caracteres, palavras, laudas etc. Eu sei que o Word faz isso com facilidade, mas às vezes precisamos fazer a contagem em arquivos do PowerPoint, PDF, Excel etc. Sem contar que às vezes são dezenas (ou centenas) de arquivos para contar.

Para facilitar esse trabalho hercúleo, existem alguns programinhas. Uns são pagos, outros são gratuitos; uns são bons, outros nem tanto. Testei um da Tilti Systems, chamado FineCount, e achei ótimo. Sendo assim, indico a vocês. Basta clicar no link a seguir e fazer o download: http://www.tilti.com/?advid=8008&advp=2

3 Responses to “Contador de palavras”

  1. on 21 fev 2008 at 7:49 am Fabio

    Acabo de descobrir este blog. Muito bom. Vou acompanhar de agora em diante. Já ganhou link no meu próprio blog sobre tradução:
    http://Vivendo-e-Traduzindo.blogspot.com
    :-)

  2. on 27 jul 2008 at 4:42 pm janice

    Como tutora de um curso em EaD trabalhei com disciplinas quantitativas orientando adultos e aposentados e pude perceber a dificuldade de trabalhar essas disciplinas. O estresse dos alunos, a dificuldade por estar a muito tempo afastado dos estudos, a falta de tempo, entre outros problemas eram claramente visíveis nos alunos. Sendo assim, decidi expor aqui, dois planos de ação tutorial, o que foi usado durante o primeiro período e o que pretendo usar para o próximo.

    Uma das disciplinas orientadas por mim foi Estatística Aplicada à Administração, essa foi, com certeza, a disciplina mais estressante para os alunos e foi trabalhada da seguinte maneira: os alunos tinham orientações de quinzenalmente, inicialmente, era feita uma mesa de discussões, esperava-se que os alunos lessem o conteúdo e, nas orientações, fazíamos abordagem dos pontos mais importantes ou dos que eles sentiam que tinham mais dificuldades e na semana que não havia orientação, fazíamos plantão não obrigatório para aqueles que achassem necessário ou ainda continuassem com dúvidas sobre o conteúdo. O livro usado tinha quatro capítulos que foram separados em conteúdos para duas provas escritas, para cada prova, dois capítulos, conforme orientação da professora especialista.

    Ao passar da segunda orientação, percebi que os alunos já não liam a apostila e se sentiam desmotivados devido ao grau de dificuldade da disciplina e às lacunas deixadas pelo livro adotado. Uma das reclamações dos alunos é que necessitavam de “aulas”, pois não estavam conseguindo acompanhar o andamento da disciplina. Decidi, então, trocar a mesa de discussões por um pequeno quadro e exposições de conteúdo seguido de tempo para questionamento. O resultado foi melhoria de aprendizado e de notas, porém, ainda houve um alto índice de reprovação.

    Para os alunos que farão a disciplina novamente no segundo período deste ano, minha sugestão de ação tutorial é:

    • Uma prova de cada capítulo, ou seja, quatro provas no total;
    • Encontros semanais dispostos da seguinte forma: os alunos serão divididos em grupos de forma que cada grupo tenha orientação de duas horas e meia por semana. Uma semana para orientação, ou seja, exposição de conteúdos e outra semana para exercícios, dúvidas e/ou questionamentos;
    • Após o término de cada capítulo, aula no laboratório para que possam “praticar” a teoria de sala.

    Acredito que, disposta dessa maneira, o aproveitamento será melhor, pois os alunos terão uma carga menor por prova e mais tempo, uma vez que esse plano é para que a disciplina seja trabalhada em um período e não em meio período como feito anteriormente. Assim, estamos respeitando o tempo do aluno e suas limitações.

  3. on 15 out 2008 at 9:39 pm GUILHERMINA BRITES

    Parabéns á Claudia pelo blog é de extrema utilidade.
    Me atendeu na hora certa.

    Brigadú.

Trackback URI | Comments RSS

Leave a Reply